Soneto Mearinense

16/07/2013 19:23

Águas plácidas, lóticas, fundamentais;

De sul a norte, de norte a sul, lá se vai;

Conduzindo a esperança de povos iguais;

Maranhense, soberano, útil, igual um pai.

 

Lendário, de mãe d’água e cabeça de cuia,

De areia e de esmeril, majestoso, e viril;

Arari, ribeirinha, que o saúda dizendo: aleluia!

Há canoas, igarités, marés, és um rio, do Brasil.

 

Pororoca, força mística, do Mearim, pura alegria,

Faz rebuliço, provoca medo, com seus segredos;

Fenômeno ímpar, mearinense, encanto e magia.

 

Mearim, rio de inspiração, de emoção, prazer e dor,

De amor, de desespero, de fertilidade, e de lazer;

Em seu leito, há peixes, delícias, para comer.

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!