MEU "MAR" DE AMOR

03/04/2014 17:36

No vai e vem das suas águas barrentas
Trás consigo o pão que alimenta.
Fazendo a alegria de um povo,
De atitudes insanas e ingratas,
Indiferentes, que te destrói te mata!
És o Nema,
"Trabalhador incansável",
Que labuta o ano inteiro
Para saciar a fome
Do homem desordeiro.
Ponho-me a observar cenas,
De desamor e ingratidão,
Sobretudo, daqueles entes,
Que não valorizam o seu chão.
O Nema é um pai,
Que sacia, cria, e se refaz
É natureza, é vida, é gente
Que resplandece o fulgor,
Um singelo benfeitor,
Meu valoroso "mar" de Amor!


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!